Home
  Quem Somos
  Nossa Proposta
  Diretoria
  Conselho Consultivo
  Eventos
  Eventos Anteriores
  Eventos Associados
  Pós-Graduação
  Anuncie
  Dúvidas e Sugestões
  Cadastre-se
  Associe-se
  Newsletter
 
 
 
 
 
 
 

 

A SOBRAE ( Sociedade Brasileira para o Estudo do Envelhecimento)  acredita ser possível o envelhecimento bem sucedido e que para isso é necessário uma estratégia multidisciplinar e multiprofissional muito ampla, mas que se sustenta em alguns pilares principais

  1. Medicina preventiva  - avaliação geral anual e tratamento precoce de doenças
  2. Dieta de qualidade nutricional correta
  3. Manutenção de peso saudável  através de dieta com numero adequado de calorias
  4. Exercicio físico continuado e orientado individualmente
  5. Sono adequado
  6. Reposição Hormonal quando necessária e individualizando custo Benefício
  7. Avaliação nutricional clinica e laboratorial e suplementação quando necessário de minerais , aminoácido e vitaminas
  8. Manter  a mente ativa, se possível com atividade profissional

Com base em nossas crenças e orientação científica concordamos com a resolução 1999/2012 do CFM, que contem somente os itens abaixo , que deixam claro que não se pode medicar as pessoas sem avaliação e sem que elas tenham necessidade e muito menos prometer retardar o envelhecimento , ou pior ainda, acenar com  longevidade. Com a estratégia para envelhecimento bem sucedido , muito provavelmente estaremos oferecendo qualidade de vida por mais tempo , que não pode ser vendida como prevenção e que pode ou não vir associada a longevidade. Portanto o CFM, como não poderia deixar de ser, não proibiu o uso dos recursos médicos para promover o envelhecimento saudável , proibiu sim, e com muita propriedade, a oferta de tratamentos mágicos e prescritos para todo mundo,  que tentam utilizar a ansiedade das pessoas quanto ao envelhecimento  para vender sonhos
CONSIDERANDO, finalmente, o decidido na sessão plenária realizada em 27 de setembro de 2012,

RESOLVE:

Art. 1º A reposição de deficiências de hormônios e de outros elementos essenciais se fará somente em caso de deficiência específica comprovada, de acordo com a existência de nexo causal entre a deficiência e o quadro clínico, ou de deficiências diagnosticadas cuja reposição mostra evidências de benefícios cientificamente comprovados.

Art. 2º São vedados no exercício da Medicina, por serem destituídos de comprovação científica suficiente quanto ao benefício para o ser humano sadio ou doente, o uso e divulgação dos seguintes procedimentos e respectivas indicações da chamada medicina antienvelhecimento:

I. Utilização do ácido etilenodiaminatetraacetico (EDTA), procaína, vitaminas e antioxidantes referidos como terapia antienvelhecimento, anticâncer, antiarteriosclerose ou voltadas para o tratamento de doenças crônico- degenerativas;

II. Quaisquer terapias antienvelhecimento, anticâncer, antiarteriosclerose ou voltadas para doenças crônico-degenerativas, exceto nas situações de deficiências diagnosticadas cuja reposição mostra evidências de benefícios cientificamente comprovados;

III. Utilização de hormônios, em qualquer formulação, inclusive o hormônio de crescimento, exceto nas situações de deficiências diagnosticadas cuja reposição mostra evidências de benefícios cientificamente comprovados;
IV. Tratamentos baseados na reposição, suplementação ou modulação hormonal com os objetivos de prevenir, retardar, modular e/ou reverter o processo de envelhecimento, prevenir a perda funcional da velhice, prevenir doenças crônicas e promover o envelhecimento saudável;

V. A prescricão de hormônios conhecidos como “bioidênticos” para o tratamento antienvelhecimento, com vistas a prevenir, retardar e/ou modular processo de envelhecimento, prevenir a perda funcional da velhice, prevenir doenças crônicas e promover o envelhecimento saudável;

VI. Os testes de saliva para dehidroepiandrosterona (DHEA), estrogênio, melatonina, progesterona, testosterona ou cortisol utilizados com a finalidade de triagem, diagnóstico ou acompanhamento da menopausa ou a doenças relacionadas ao envelenvelhecimento, por não apresentar evidências científicas para a utilização na prática clínica diária.

Anexa a íntegra da resolução 1999/2012 do CFM

Wilmar Jorge Accursio – CRM-SP37365
SOBRAE – Presidente

 

 

 


 


© Copyright 2004/2007 -Todos os direitos reservados.
Design e Tecnologia
Vila do Melo